quinta-feira, 4 de julho de 2013

MANUTENÇÃO PREVENTIVA PARA EVITAR INCÊNDIOS E DESABAMENTOS

Incêndios e desabamentos ocorrem frequentemente em prédios residenciais e comerciais. Para evitá-los, deve haver manutenção preventiva e fiscalização constante dos itens de segurança

João Lustosa afirma que a fiscalização é um dos itens primordiais contra acidentes
A segurança nos condomínios deve ser uma preocupação constante. A maioria dos acidentes, sejam eles incêndios ou desabamentos, podem ser evitados por meio da manutenção preventiva e da fiscalização dos itens de segurança. Após o desastre na Boate Kiss (Santa Maria – RS) em janeiro deste ano, no qual 242 pessoas foram mortas e outras 116 ficaram feridas, a precaução e os cuidados com a segurança dos condôminos aumentou consideravelmente. Uma série de itens devem ser observados para que a vida dos moradores esteja assegurada. Além dos equipamentos de combate efetivo, como mangueiras e extintores de incêndio, é importante que se evite acidentes por meio da utilização das placas de advertência, sinalizadoras de rotas de fuga, placas e etiquetas para extintores. A utilização desses equipamentos deve seguir uma série de normas emitidas pela ABNT ou pela Secretaria de Defesa Civil.Na opinião de João Lustosa, chefe do departamento de Fiscalização do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea-DF), a fiscalização é um dos itens primordiais na defesa da população contra acidentes. “A verificação da implantação dos itens de segurança é o melhor método de prevenção contra incêndios. As edificações devem ser analisadas de acordo com a sua estrutura, para que assim, as condições mínimas de funcionamento sejam garantidas”, frisa.
Ele reforça que a manutenção e segurança  começam a partir da certificação emitida pelo Corpo de Bombeiros. “Os equipamentos serão instalados e revisados após a administração de um laudo dos bombeiros, em conformidade com o projeto original do condomínio. Depois disso, é emitido o habite-se com uma vistoria para o cumprimento desse projeto”, completa. Lustosa  ressalta a importância da verificação do prazo de validade dos equipamentos. “Os funcionários e condôminos devem estar atentos aos prazos de validade de carga dos extintores e demais equipamentos de combate a incêndio por meio de uma checagem anual”, finaliza.
Todos os equipamentos devem passar por manutenção preventiva anualmente. O extintor, principal instrumento de combate a incêndios, deve ser recarregado pelo menos uma vez por ano e conter o selo do Inmetro. No ato da retirada dos equipamentos para manutenção e recarga, a empresa precisa atender ao condomínio com um estoque de reposição provisória. As mangueiras, sprinklers e luzes de emergência também devem ser testados periodicamente, já que uma série de acidentes ocorre em locais onde o equipamento  está instalado, porém nunca foi testado ou utilizado antes.
As escadas dos prédios precisam estar desobstruídas a todo momento. A manutenção do sistema de luzes de emergência também merece atenção especial, além das rotas de fuga sinalizadas com cartazes que funcionam mesmo no escuro. Os andares dos prédios precisam mostrar o andar e o sentido da saída mais próxima, além de conter os  hidrantes e extintores em fácil acesso para manuseio.
Certificação dos bombeiros
O presidente do Crea-DF, Flavio Correia diz que a manutenção residencial é obrigatória em todos os condomíniosc
O auto de vistoria do Corpo de Bombeiros é obrigatório em todos os condomínios. O documento é emitido a partir do decreto nº 46.076/2001, o qual institui o regulamento de segurança contra incêndio das edificações e áreas de risco. Caso um condomínio não possua, poderá ser interditado. Para que a vistoria ocorra em perfeitas condições, o síndico ou zelador  deve conhecer o funcionamento dos sistemas e equipamentos de proteção contra incêndios por meio de um treinamento prévio.
Délzio João de Oliveira Júnior, diretor de Assuntos Sindicais e Relações Institucionais do Sindicondomínio, diz que os itens de segurança são exigidos por meio da permissão concedida pelo Corpo de Bombeiros, que garante o acesso e a conformidade dos extintores de incêndio, hidrantes, hidrômetros e mangueiras.
O síndico deve aprovar o orçamento para melhorias do condomínio durante assembleia anual. A manutenção anual deve ter o caráter preventivo. “Tecnicamente não temos nenhum órgão para exercer a fiscalização nesse sentido. Temos muitas fiscalizações que são possibilitadas por denúncia”, explica Délzio.
Para ele, compete ao Corpo de Bombeiros, juntamente com a Defesa Civil, advertir as irregularidades. Caso o estabelecimento não seja regularizado, pode haver uma multa e até a interdição do local. “O problema do Brasil é que as pessoas não gostam de tomar medidas preventivas, onde o gasto é bem menor. Nós entregamos ao síndico um manual de revisão dos equipamentos, porém muitos síndicos mal se dão ao trabalho de ler”, finaliza.
Manutenção preventiva
Délzio João de Oliveira Júnior diz que os itens de segurança são exigidos por lei
A inspeção pode ser a solução contra problemas na estrutura dos prédios. A falta de manutenção é considerada a principal causa de abalos. A inspeção predial tem o objetivo de verificar as condições da edificação, permitindo remediar possíveis falhas.Anteriormente, algumas construtoras optavam por abandonar prédios antigos, porém nos dias de hoje o cenário mudou. As empresas começaram a investir em inspeção e manutenção, após verificarem que os custos preventivos são mais baixos do que os de conserto. De acordo com o presidente do Crea-DF, Flavio Correia, a manutenção predial é obrigatória em todos os edifícios. “A manutenção é feita de forma imediata e remediadora. Essa manutenção deve ser realizada para prevenir os abalos estruturais e incêndios, e não somente quando o problema surge, como ainda é feito na maioria das vezes”, alerta. Ele reforça ainda que a manutenção em caráter preventivo é aconselhada desde a concepção e entrega do edifício.
DICAS
Algumas dicas podem ser adotadas para evitar incêndios:
•    Evite a sobrecarga dos circuitos elétricos, distribuindo os aparelhos pelas tomadas da residência e não em uma única tomada.
•    Nunca deixe lâmpadas quentes (incandescentes) acesas encostadas em papéis ou materiais inflamáveis.
•    Em construções com mais de 10 anos, é recomendável a checagem periódica das condições dos fios de toda a rede elétrica.
•    Evite colocar velas próximas a caixas de fósforos ou materiais inflamáveis.
•    Não instale cortinas próximas ou sobre fios elétricos.
•    Antes de sair de casa, verifique se há equipamentos ainda em utilização, como torradeiras e ferros de passar roupa.
•    Caso os disjuntores, fusíveis ou fiações tiverem problemas recorrentes, acione um eletricista ou profissional da área elétrica/mecânica capacitado e registrado.
Fonte: Mais Comunidade


Nenhum comentário:

Postar um comentário